Rio Araguaia: Descobrindo as Maravilhas Naturais e a Cultura Ribeirinha do Brasil

Escrito por Lucas Oliveira

Equipe de autores da ArqBahia.

E aí, pessoal! Hoje vou compartilhar com vocês um mergulho fascinante nas belezas naturais e na rica cultura ribeirinha do Brasil. O ponto de partida dessa aventura é a nascente do majestoso Rio Araguaia, situada na deslumbrante Serra dos Caiapós, na divisa dos Estados de Mato Grosso e Goiás. Nesse post, vamos explorar a extensão de 2.115 quilômetros desse tesouro natural e descobrir o que o torna tão especial.

Explorando a Nascente e Extensão

A jornada começa a 850 metros acima do nível do mar, e ao longo de seus 2.115 quilômetros, o Rio Araguaia encanta com sua diversidade e grandiosidade. Sua Foz, encontrando-se junto ao Rio Tocantins, cria um espetáculo único da natureza. Os afluentes da margem direita, como os rios Javaés, Caiapós, Crixás, Sul, Rio Vermelho e Rio Claro, e da margem esquerda, como o Rio das Mortes, Rio Tapirapé e Rio das Graças, contribuem para a vitalidade desse curso d’água.

Anúncio


         

Economia Ribeirinha em Foco

“Ribeirinho” é o nome dado pelo Estado Brasileiro para caracterizar a população de comunidades que têm um estilo de vida diretamente ligado aos rios. Eles são um povo que vive em harmonia com a natureza e aprenderam a lidar com as limitações e desafios impostos pelo rio e pela floresta, adaptando seu cotidiano e modo de morar para garantir sua sobrevivência.

As moradias dos ribeirinhos são construídas principalmente com madeira. A maioria é em forma de palafitas, que ficam localizadas próximas às margens dos rios. As palafitas são construídas alguns metros acima do nível do rio para evitar que sejam invadidas pelas águas durante as enchentes.

Foto: Ronaldo Rosa

A economia ao longo das margens do Rio Araguaia é pulsante, influenciando diretamente a vida das comunidades ribeirinhas. A pesca, a agricultura e o turismo são os pilares que sustentam essas populações. Impossível não mencionar as ilhas flutuantes e a pesca esportiva, que atraem visitantes em busca de experiências únicas. Com 1.800 km de águas navegáveis, o rio se torna um corredor vital para o escoamento da produção agrícola e industrial dos Estados circundantes.

Ecologia em Harmonia

Quando falamos de ecologia, o Rio Araguaia desempenha um papel crucial na preservação da fauna e flora do bioma. Nas águas cristalinas do rio, encontram-se uma variedade de peixes, incluindo a piraíba, o maior peixe de água doce da América do Sul, que pode atingir até 3 metros de comprimento e pesar até 200 quilos. Também são encontradas piranhas, tucunarés, dourados e muitas outras espécies.

Uma das espécies mais cativantes do Rio Araguaia é o boto-do-araguaia, uma espécie de golfinho fluvial identificada somente em 2014!

Além das espécies que vivem na água, ao redor do Araguaia vivem também araras-azul, o gavião-real (uma das maiores aves do mundo!) e onças-pintadas.

Gavião-real ao lado de uma pessoa

Curiosidades:

  • O rio Araguaia é o segundo maior rio da bacia amazônica, depois do rio Tocantins.
  • A ilha do Bananal, que fica no rio Araguaia, é a maior ilha fluvial do mundo.
  • O rio Araguaia é um importante corredor migratório para peixes, aves e mamíferos.

Tribos e Parques

Não podemos esquecer a presença marcante de algumas Nações Indígenas, como os Javaé e os Carajá, que encontram no rio um ambiente sagrado. Além disso, dois parques nacionais de conservação, o Parque Nacional das Emas e o Parque Nacional Araguaia, são testemunhas da importância desse ecossistema, sendo administrados pelo Instituto Chico Mendes de Conservação e Biodiversidade.

Referências

G1 – Ribeirinhos são fascinados pela riqueza do Araguaia: ‘Para nós é tudo’ – notícias em Goiás (globo.com)

Boto-do-araguaia: características, alimentação, conservação, informações e muito mais | Blog do Pescador

Deixe um comentário