Como combater o bullying

Escrito por Amanda Pereira

Equipe de autores da ArqBahia.

O bullying é uma forma de violência que afeta milhões de crianças, jovens e adultos em todo o mundo. Ele consiste em atos de agressão física, verbal ou psicológica, intencionais e repetitivos, praticados por uma pessoa ou grupo contra alguém que se sente incapaz de se defender. O bullying pode causar danos físicos, emocionais, sociais e acadêmicos às vítimas, além de violar seus direitos e liberdades.

O que fazer para prevenir o bullying?

A prevenção do bullying é uma responsabilidade de todos: pais, educadores, alunos, comunidade e sociedade. Algumas medidas que podem contribuir para evitar ou reduzir o bullying são:

  • Conversar com as crianças e jovens sobre o que é o bullying, suas consequências e como enfrentá-lo com segurança. É preciso esclarecer que esse tipo de prática é inaceitável e que as vítimas devem procurar ajuda de um adulto de confiança.
  • Estimular a autoestima, a empatia, o respeito e a solidariedade entre as crianças e jovens. Valorizar as diferenças individuais e culturais e promover a convivência pacífica e democrática.
  • Observar e monitorar os comportamentos das crianças e jovens, tanto na escola quanto fora dela. Identificar os possíveis casos de bullying e intervir de forma rápida e adequada, aplicando as medidas disciplinares previstas no regimento escolar ou no código de conduta.
  • Envolver toda a comunidade escolar na elaboração e implementação de um projeto de prevenção e combate ao bullying. Criar um comitê gestor, realizar diagnósticos, definir metas, ações e indicadores, divulgar os resultados e avaliar o impacto das intervenções.
  • Oferecer apoio psicológico às vítimas, aos agressores e às testemunhas de bullying. Orientar as famílias sobre como lidar com a situação e encaminhar os casos mais graves para os serviços especializados.

O que fazer para combater o bullying?

Quando o bullying já está ocorrendo, é fundamental que as vítimas, as testemunhas e os agressores recebam orientação e acompanhamento adequados. Algumas dicas para enfrentar o bullying são:

  • Não reagir com violência ou agressividade. Isso pode piorar a situação e colocar em risco a integridade física da vítima.
  • Não se isolar ou se calar. Buscar apoio de amigos, familiares, professores ou outros adultos que possam ajudar a resolver o problema.
  • Denunciar o bullying para a direção da escola ou para outra autoridade competente. Registrar as evidências do bullying, como mensagens, fotos, vídeos ou marcas de agressão.
  • Ignorar ou evitar os provocadores. Manter uma postura firme e confiante, sem demonstrar medo ou insegurança.
  • Participar de atividades que aumentem a autoconfiança, a autoestima e a sociabilidade. Praticar esportes, hobbies, artes ou voluntariado são exemplos de atividades que podem melhorar o bem-estar físico e emocional das vítimas.
Anúncio

Conclusão

O bullying é um problema sério que precisa ser enfrentado com urgência por todos os segmentos da sociedade. Ele pode trazer consequências negativas para o desenvolvimento pessoal, social e acadêmico das vítimas, dos agressores e das testemunhas. Por isso, é fundamental que haja uma conscientização coletiva sobre a gravidade do fenômeno e uma mobilização para preveni-lo e combatê-lo.

FAQ

  • O que é cyberbullying?
    É o bullying praticado por meio de tecnologias digitais, como celulares, computadores ou redes sociais. Ele pode envolver ofensas, ameaças, chantagens, exposição ou difamação da vítima na internet.
  • Quais são os tipos de bullying?
    O bullying pode ser classificado em diferentes tipos, de acordo com a forma de agressão: físico (empurrões, chutes, socos), verbal (xingamentos, apelidos, insultos), moral (calúnias, fofocas, humilhações), sexual (assédio, abuso, insinuações), material (roubo, destruição, extorsão) ou virtual (cyberbullying).
  • Quais são as causas do bullying?
    Não há uma causa única para o bullying, mas sim uma combinação de fatores individuais, familiares, escolares e sociais que podem influenciar o comportamento dos envolvidos. Alguns desses fatores são: baixa autoestima, dificuldade de relacionamento, falta de limites, violência doméstica, preconceito, discriminação, desigualdade, competitividade, etc.
  • Quais são as consequências do bullying?
    O bullying pode afetar a saúde física e mental das vítimas, dos agressores e das testemunhas. Algumas das consequências possíveis são: baixo rendimento escolar, evasão escolar, depressão, ansiedade, estresse, isolamento social, baixa autoestima, automutilação, suicídio, agressividade, delinquência, etc.
  • Como ajudar alguém que sofre bullying?
    Se você sabe de alguém que sofre bullying, você pode ajudar de várias formas: oferecendo apoio emocional e amizade, escutando e acolhendo a vítima, incentivando-a a procurar ajuda profissional, denunciando o bullying para as autoridades responsáveis, não compartilhando ou incentivando conteúdos ofensivos ou violentos na internet, etc.

Referências

Indicamos os seguintes links:

  1. A reportagem da CNN Brasil discute o impacto do bullying tanto para a vítima quanto para o agressor 1.
  2. SciELO publicou um artigo sobre o bullying em adolescentes brasileiros e como isso é um desafio para a saúde pública 2.
  3. G1 noticiou sobre uma menina de 14 anos que foi vítima de bullying e agressão física dentro da escola municipal Alice Canellas da Silveira, em Iguaba Grande, na Região dos Lagos 3.
  4. BBC News Brasil publicou uma reportagem sobre o que faz algumas crianças praticarem bullying pesado em outras 4.

Deixe uma resposta