O Barroco Baiano na arquitetura, pintura e poesia

Escrito por ArqBahia

Equipe de autores da ArqBahia.

O Barroco Baiano é um estilo artístico marcante que floresceu na Bahia durante o período colonial do Brasil. Com sua arquitetura exuberante, pinturas ricas em detalhes e literatura satírica, o Barroco Baiano deixou um legado cultural e arquitetônico de grande importância.

Neste artigo, exploraremos o contexto histórico e artístico do Barroco na Bahia. Destacaremos a Igreja da Ordem Terceira de São Francisco em Salvador. Também abordaremos os artistas José Joaquim da Rocha e Gregório de Mattos.

O barroco baiano

1.1 Contexto histórico e artístico do Barroco na Bahia

O Barroco Baiano desenvolveu-se no século XVII e XVIII. Nesse período, a Bahia era uma das mais prósperas regiões do Brasil colonial. Influenciada pelas riquezas da cana-de-açúcar e do comércio de pessoas escravizadas, a Baía de Todos os Santos sofreu grandes mudanças em sua cultura e arquitetura.

Anúncio

1.2 Características do Barroco Baiano

O Barroco Baiano se destacou por sua ornamentação exuberante, com grande uso de curvas, detalhes decorativos e elementos dourados. As igrejas barrocas da Bahia são exemplos marcantes desse estilo, com fachadas ricamente trabalhadas e altares adornados com talhas em madeira. Além da arquitetura, o Barroco Baiano também se manifestou nas pinturas e esculturas, apresentando temas religiosos e retratando figuras santas de forma realista.

1.3 Importância cultural e arquitetônica

O Barroco Baiano desempenhou um papel fundamental na formação cultural e arquitetônica da Bahia. Suas igrejas, como a Igreja da Ordem Terceira de São Francisco em Salvador, tornaram-se verdadeiros tesouros artísticos. Elas representam a riqueza do estado no período colonial.

Além disso, o Barroco Baiano evidencia a contribuição dos artistas locais. Demonstra que conseguiram adaptar as influências europeias ao contexto regional, criando uma identidade artística única.

2. Arquitetura baiana do barroco: A Igreja da Ordem Terceira de São Francisco em Salvador

igreja da ordem terceira de são francisco salvador
Igreja da Ordem Terceira de São Francisco

2.1 História da igreja

A Igreja da Ordem Terceira de São Francisco é um dos principais exemplares da arquitetura barroca na Bahia. É um bom exemplo de arquitetura colonial. Sua construção teve início em 1702 e foi concluída em 1723. A igreja foi erguida pela Ordem Terceira de São Francisco, uma confraria religiosa que tinha como objetivo assistir aos pobres e enfermos.

A edificação passou por diversas reformas ao longo dos anos, preservando sua imponência e riqueza de detalhes. Sua localização é no Centro Histórico de Salvador e na época de sua construção Salvador ainda era a primeira capital do Brasil.

2.2 Arquitetura e detalhes decorativos

A arquitetura da Igreja da Ordem Terceira de São Francisco é impressionante. Sua fachada apresenta uma profusão de elementos barrocos, com colunas retorcidas, frontão triangular e estátuas ornamentais. O interior da igreja é igualmente magnífico.

Encanta os visitantes com altares talhados em madeira dourada, pinturas em teto e paredes e uma riqueza de detalhes. Sem dúvidas, um dos edifícios mais bonitos da arquitetura de Salvador.

2.3 Tombamento e reconhecimento

Devido à sua importância histórica e artística, a Igreja da Ordem Terceira de São Francisco foi tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) em 1939. Foi indicada também para a eleição das 7 Maravilhas do Brasil.

Esse reconhecimento oficial garante a preservação e conservação do patrimônio cultural brasileiro. Permite que as gerações futuras apreciem a grandiosidade do Barroco Baiano e o compreenda como um dos patrimônios históricos da arquitetura nacional.

3. Pintura baiana do barroco: José Joaquim da Rocha

Teto da Igreja da Ordem Terceira de São Domingos
Teto da Igreja da Ordem 3ª de São Domingos

3.1 Biografia e influências artísticas

José Joaquim da Rocha foi um renomado pintor que viveu no período do Barroco Baiano. Pouco se sabe sobre sua vida, mas sua obra revela influências europeias, principalmente da escola italiana e flamenga, mescladas com elementos locais. Rocha contribuiu para o desenvolvimento do Barroco Baiano com suas pinturas religiosas, retratando cenas bíblicas e figuras santas.

3.2 Obras e contribuições para o Barroco Baiano

As obras de José Joaquim da Rocha são exemplos notáveis do Barroco Baiano. Suas pinturas, presentes em diversas igrejas da Bahia, são caracterizadas pela expressividade das figuras, riqueza de detalhes e uso de cores vivas. Rocha contribuiu para a disseminação do Barroco Baiano, deixando um legado artístico de grande importância para a cultura baiana.

4. Poeta baiano do barroco: Gregório de Matos, o satírico

Retrato de Gregório de Mattos
Retrato de Gregório de Mattos

4.1 Vida e contexto histórico

Gregório de Matos, conhecido como “Boca do Inferno”, nasceu em Salvador por volta de 1636. Foi um, poeta que viveu no período do Barroco Baiano. Matos foi um personagem polêmico e irônico, que retratou em seus versos a sociedade colonial, suas contradições e injustiças. Sua poesia satírica e crítica social marcou o Barroco Baiano e deixou um legado literário importante.

4.2 Estilo literário e temas abordados

O estilo literário de Gregório de Mattos é marcado pela sátira, ironia e crítica mordaz. Em seus versos, ele abordava temas diversos, como a corrupção, a hipocrisia religiosa, a desigualdade social e os vícios da sociedade colonial. Mattos utilizava uma linguagem vigorosa e popular, aproximando-se do povo e denunciando as injustiças de sua época.

4.3 Legado e importância para a literatura brasileira

Gregório de Mattos é considerado um dos precursores da literatura baiana. Sua poesia satírica e irreverente, embora tenha lhe rendido inimizades e perseguições, deixou um legado importante para a literatura nacional. Sua obra, que mistura o estilo barroco com elementos populares, revela as contradições e a complexidade da sociedade colonial brasileira. É um retrato fiel de seu tempo.

5. Conclusão

O Barroco Baiano representa um verdadeiro tesouro cultural da Bahia. Através de sua arquitetura imponente, pinturas ricas em detalhes, e poesia satírica, a arte barroca nos transporta para o período colonial. Revela a diversidade cultural e as expressões artísticas da época. Nos permite também ir além do barroco de Minas Gerais, principalmente de Ouro Preto.

A Igreja da Ordem Terceira de São Francisco em Salvador, as obras de José Joaquim da Rocha e a poesia de Gregório de Mattos são exemplos marcantes do legado. Preservar e valorizar o Barroco Baiano é essencial para compreendermos nossa história e apreciarmos a riqueza cultural do Barroco Brasileiro.

5. Veja também

6. Referências

Igreja da Ordem Terceira de São Francisco (Salvador) – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

História e Arquitetura da Igreja da Ordem Terceira de São Francisco (bahia.ws)

José Joaquim da Rocha – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

José Joaquim da Rocha | Enciclopédia Itaú Cultural (itaucultural.org.br)

Gregório de Matos: biografia, obras e poemas – Toda Matéria (todamateria.com.br)

Gregório de Matos: biografia, estilo, obras, poemas – Brasil Escola (uol.com.br)

2 comentários em “O Barroco Baiano na arquitetura, pintura e poesia”

Deixe uma resposta