A Urgência do Papa: O Pontífice Contra Mudanças Climáticas

Escrito por Felipe Costa

Equipe de autores da ArqBahia.

Nos últimos meses, testemunhamos notícias alarmantes sobre ondas de calor implacáveis, flores desabrochando na Antártida, secas devastadoras e mortandade de peixes na Amazônia, além de ciclones assolando o sul do país. Esses eventos sugerem, mais uma vez, que as mudanças climáticas atingiram um ponto crítico. Diante desse cenário, em outubro passado, o Papa Francisco lançou um apelo vigoroso em prol de políticas urgentes para evitar a devastação que ameaça vidas.

A Exortação Apostólica: Laudate Deum e a Crise Climática

Na exortação apostólica intitulada Laudate Deum – uma carta sobre a crise climática, Francisco reafirma as reflexões profundas apresentadas na encíclica Laudato Si’ em 2015. Naquela época, às vésperas da Conferência das Partes das Nações Unidas sobre Mudança do Clima em Paris (COP21), o pontífice elaborou um documento robusto, enraizado na tradição cristã, no magistério da Igreja Católica e em diálogo com a ciência e os alertas socioclimáticos. Agora, a Laudate Deum destaca a centralidade da agenda socioambiental para a Igreja e a sociedade, instando governos, instituições multilaterais e fóruns como as COPs a adotarem medidas urgentes.

Superando o Paradigma Tecnocrático

Francisco destaca que a crise climática é um problema político, não meramente de ajustes tecnológicos. Ele alerta para a necessidade de transcender o “paradigma tecnocrático”, baseado na ideia de “crescimento infinito ou ilimitado” e na “mentira da disponibilidade infinita dos bens do planeta”. A preocupação do Papa aumenta diante do avanço desse paradigma, agora impulsionado pela inteligência artificial e novas tecnologias, perpetuando a visão de que a natureza é um simples “recurso ao seu serviço”.

Anúncio

Além das Soluções Tecnocráticas

Francisco argumenta que remediar as consequências das mudanças climáticas com abordagens tecnocráticas é inaceitável. Chama isso de “pragmatismo homicida”, ressaltando a necessidade de não ficarmos presos à lógica de consertar a situação superficialmente, enquanto a deterioração persiste. O Papa adverte que as promessas tecnocráticas só alimentam catástrofes cotidianas, prejudicando especialmente os empobrecidos, enganados pelas ilusões do desenvolvimento, da mineração e dos combustíveis fósseis.

Uma Transição Energética Justa

Para uma transição energética justa, eficiente e corajosa, Francisco destaca a incompatibilidade entre explorar petróleo na foz do Amazonas e alcançar tal transição. Argumenta que a crença na inteligência artificial e nas boas intenções não justifica a continuação da exploração de petróleo. O abandono dos combustíveis fósseis não resultará em desemprego massivo, contrariando o discurso vigente. O Papa destaca que, devido às mudanças climáticas, milhares de pessoas já perdem empregos e são forçadas a migrar.

A Chamada à Ação

O apelo do Papa Francisco, lançado antes da Conferência do Clima em Dubai (COP 28), deveria ser encarado com seriedade pelo governo brasileiro e pelas empresas públicas e privadas. Ele exorta políticos e empresários a se envolverem imediatamente em decisões políticas, em vez de dependerem de soluções tecnológicas que não abordam efetivamente a crise climática.

Um apelo papal antigo

Além da encíclica Laudato Si’ em 2015, essa o Papa Francisco vem se manifestando regularmente sobre a urgência das mudanças climáticas. Em 2021, às vésperas da Conferência das Nações Unidas sobre Mudança Climática (COP 26), o pontífice destacou a importância da responsabilidade e solidariedade dos parlamentares italianos e da União Europeia. Durante um encontro promovido pela Câmara dos Deputados italiana, Francisco instou a criação de leis sábias e justas, transcendo as barreiras políticas, para enfrentar a emergência climática. O Papa ressaltou a necessidade de ações imediatas, afirmando que tais medidas são devidas às futuras gerações. Este apelo, em linha com suas constantes preocupações ambientais, evidencia a continuidade de seu engajamento na busca por soluções efetivas para a crise climática global. Essa abordagem consistente reforça a posição do Papa como uma voz proeminente na defesa do meio ambiente.

REFERÊNCIAS

“Laudate Deum”: Exortação Apostólica a todas as pessoas de boa vontade sobre a crise climática (4 de outubro de 2023) | Francisco (vatican.va)

Laudato si’ (24 de maio de 2015) | Francisco (vatican.va)

Papa pede urgência na criação de leis para combater aquecimento global | VEJA (abril.com.br)

Avalie esse post

Deixe um comentário